terça-feira, 26 de abril de 2011

Jalapão

O Jalapão é bruto! Essa foi a frase que mais ouvimos durante a viagem. Mas vamos começar do começo... Jalapão, vem de "jalapa" que é o nome de uma batata que colocam nas garrafas de pinga e que dá um gosto amargo à marvada. Quando o cara queria uma dose bem servida, pedia um jalapão. Daí vem o nome da região e fico imaginando que só tem pingaiado por lá. Por sorte não encontramos nenhum.

Bruto!
O Jalapão é bruto!


A área do parque estadual é enorme e as distâncias entre as atrações também. No primeiro dia rodamos mais de 400km em pick ups 4x4 pelas estradas esburacadas e enlameadas. Chegamos até o Morro Vermelho, que o nome já diz tudo. Caminhamos entre as enormes erosões de terra vermelha e de cima do morro uma bela vista da região. À caminho da pousada, vimos a Pedra da Catedral, que também tem o nome bem auto-explicativo. No fim do dia, fomos até o fervedouro, mas como já estava escuro, não conseguimos fotografar. O fervedouro é um lugar de terreno mais frágil, onde a água dos lençóis freáticos saem. É como uma nascente embaixo da areia. O mais curioso é que no "olho" (parte onde sai a água), por mais que você queira, não consegue afundar. É como se estivéssemos na lua.

Morro Vermelho
Morro Vermelho

Pedra da Catedral
Pedra da Catedral

O segundo dia foi o mais legal. Visitamos a Cachoeira do Formiga, que tem uma água incrivelmente cristalina! Nadamos contra a cachoeira, deixamos o rio nos levar e não queríamos sair de lá nunca mais. A melhor atração do Jalapão, com certeza! De lá fomos visitar o Fervedouro do Formiga, que foi mais legal que o outro, já que estava de dia. Depois visitamos a comunidade Mumbuca, que são conhecidos pelos artesanatos com o capim dourado. Também tomamos suco de buriti e geladinho de araçá, ótimos pra combater o calor. De lá, partimos para as dunas pra ver o pôr do sol. As areias vermelhas da erosão da Serra do Espírito Santo estão fazendo as dunas crescerem cada vez mais e em poucos anos já cobriram árvores e mudaram o curso do rio. A paisagem é linda e a luz do entardecer reforça sua beleza. Infelizmente essa ação natural vai transformar a serra em pó.

Cachoeira do Formiga
Cachoeira do Formiga

Cristalina
Rio Formiga

:)
Crianças Mumbuca

Serra do Espírito Santo
Serra do Espírito Santo

No topo
Dunas

Erosão
Erosão na serra

O despertador tocou mais cedo no terceiro dia. Saímos de madrugada pra fazer o trekking na Serra do Espírito Santo. A subida demorou aproximadamente 1h e a vista que se tem lá de cima e o nascer do sol fizeram valer todo o esforço. De lá, fizemos uma caminhada de uma meia hora até a outra parte da serra, bem na parte da erosão. Infelizmente a neblina estava densa e não conseguimos ver as dunas lá de cima. Descemos a serra, tomamos o café da manhã na pousada e seguimos até a Cachoeira da Velha. Com o rio cheio, nos lembrou as Cataratas do Iguaçu numa escala bem menor. Depois fomos até a praia do Rio da Velha para um pique nique antes de seguir para a próxima pousada.

Jalapão
Vista do topo da serra

Cachoeira da Velha
Cachoeira da Velha

O quarto dia amanheceu com tucanos na frente do nosso chalé. De manhã visitamos a Pedra Furada. Depois disso foi a vez de visitar as cachoeiras do Soninho Grande e Soninho Pequeno. Como o rio estava cheio, nada de banho. Após o almoço fomos até o Cânion Sussuapara que nos reservou um banho de mini cachoeira para finalizar a nossa jornada no Jalapão.

Tucanos
Tucanos

Pedra Furada
Pedra Furada

Cânion Sussuapara
Cânion Sussuapara

Depois de 4 dias de expedição off road, descobrimos que o Jalapão é maravilhoso. O que é bruto é ficar rodando na pick up pelas estradas esburacadas do parque.

Voamos SP - Palmas com a Gol
A expedição foi feita pela Nortetur

7 comentários:

Elke disse...

Legal! :)

Juliana Calderari disse...

Incrível esse lugar. Tem época para ir?

Viagem Personalizada disse...

Fantásticas fotos de um lugar incrível!!!

GOM disse...

que viajão!

Priscila disse...

muito lindo !!! é muito calor por lá ? tipo, bafão ?

Flavs disse...

Ju, existem dois períodos bem definidos no Jalapão: o chuvoso (outubro a abril) e seco (maio a setembro). A melhor época é a da seca, pois as estradas ficam em melhores condições e as águas do Rio Novo ficam mais baixas.

Pri, é bem quente lá durante o dia, mas como a gente ficava dentro das pick ups com ar condicionado, foi tranquilo. De noite até que não fez tanto calor, mas toda pousada tem ar.

Andreia Mendes disse...

oi pessoal! vou a Jalapão mês que vem e ainda estou decidindo com qual cia fechar o pacote. já recebi o orçamento da Norte Tur e tantas outras e até agora estou achando tudo suuuuuper caro. Vocês que já foram tem alguma recomendação a ser feita? Será que chegando lá é mais fácil negociar? Será melhor ir direto para Mateiros e fazer os passeios direto com as pousadas? Se puderem me ajudar de alguma forma, agradeço. Adorei as fotos de vocês de várias viagens e já tomei a liberdade de inserir um link no meu blog, ta bom! :) abs, Andreia